A lei e o terrorismo

Não sei o que dizer da Lei Antiterrorismo ora em discussão no Congresso Nacional. O projeto, originário do Senado, foi discutido na Câmara e lá sofreu alterações; mas parece não estar agradando a gregos nem a troianos.

Movimentos sociais e militantes de esquerda acusam a lei de ser muito DURA; segundo eles, ela permite considerar como terroristas esses próprios movimentos e as manifestações e protestos em favor dos direitos humanos ou reivindicações sociais.

Já a oposição ao governo e militantes de direita acham que a lei é MOLE demais, pois para estes ela permite que atos violentos e de destruição (tidos em outros países como atos de terror) sejam cometidos sob a alegação de ocorrerem em contexto de manifestações sociais.

Ou ambos os lados têm alguma razão… ou nenhum deles tem. Eis aí o busílis: saber o que é ou não um ato terrorista.

Mas talvez a coisa nem seja assim tão difícil: todos têm sua própria noção do que seja terrorismo.

Terrorismo é aquilo que os outros fazem.

Santarém, PA, 29/2/2016.

Anúncios

Modernidade irlandesa

thomas-cahill“Um homem é melhor do que sua origem.”

Segundo o historiador Thomas Cahill (*), esta máxima dos primórdios do cristianismo na Irlanda (séculos V a IX) era evocada para afirmar “a primazia do espírito individual sobre noções de sangue e estirpe”.

Modernos, sui generis esses irlandeses dos tempos dos santos Patrício, Brígida, Columba e Columbano!

Pelo menos é a minha impressão, quando comparo tal pensamento com o que vejo nos dias atuais: ao invés de definir-se pelo que é, muita gente prefere fazê-lo pelo que foram seus ancestrais.

Tais indivíduos e grupos, que se consideram tão livres e senhores de si mesmos, deixam-se, na verdade, governar por seus antepassados. E não se apercebem disso.


* CAHILL, Thomas. Como os Irlandeses Salvaram a Civilização. Tradução de José Roberto O’Shea. Rio de Janeiro: Objetiva, 1999. (A História não Contada, 1). p. 195.

Santarém, PA, 27/2/2016.

Capes na Rio +20: livro disponível em PDF

Capes_Rio+20_Contribuicao_capa_2Está disponível para download gratuito, em formato PDF, o livro Contribuição da Pós-Graduação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável: Capes na Rio +20, lançado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) durante a Conferência Mundial da ONU sobre o Desenvolvimento Sustentável Rio +20, ocorrida de 13 a 22 de junho de 2012 na cidade do Rio de Janeiro.

A Capes foi convidada pela organização da conferência para elaborar uma síntese do avanço do conhecimento, pesquisa e formação de recursos humanos desenvolvidos nos programas do Sistema Nacional de Pós-Graduação. O livro, publicado em português e inglês e distribuído durante a Conferência, é baseado nos textos que constam no Plano Nacional de Pós-Graduação 2011-2020, também editado pela Capes e Ministério da Educação (MEC).

O livro pode ser baixado/descarregado aqui (página da UFGD) ou lido online no Issuu.

Santarém, PA, 22/8/2012. Editado em 26/2/2016.