Não falareis em português!

Pois é… Criticaram quem, falando inglês macarrônico, convidou gringos a visitar o Brasil; alguns disseram que ele deveria falar em português mesmo, com legenda.

Concordo. Também acho. Eu faria o mesmo.

Mas por que a pessoa se arriscou a tamanho vexame? Por que não falou em português? O pronunciamento tornou-se viral…

Há quem defenda que brasileiro deve falar em inglês ou outra língua de prestígio (o que significa que o português prestígio não tem…). A Folha de S. Paulo pensa isso.

Em 2001, quando Fernando Henrique Cardoso esteve na Coreia do Sul, falou em inglês, enquanto os nacionais de lá falavam em coreano, com tradução simultânea para o português.

A “enviada especial” (quem? 🤔) da FSP à Coreia disse o seguinte sobre os coreanos que insistiam em ser coreanófonos:

“APESAR DE uma estratégia agressiva no mercado internacional e de apresentar um ALTO NÍVEL DE EDUCAÇÃO, os coreanos não abrem mão de sua língua.” (grifos meus)

O “apesar de” da FSP diz tudo: se você tem alto nível de educação, evite sua língua. Fale inglês, chinês, alemão, francês, espanhol ou outra língua importante, mas não o português. Como diz um faustônico histrião da TV, o “português não é língua, é código secreto”.

Já se você não teve a oportunidade de atingir alto nível educacional…

Eu, por exemplo, sou provinciano mesmo — um tanto por destino, outro tanto por defeito e opção, pois já chutei o pau da barraca faz tempo — e falo em português e esperanto, línguas “sem prestigio”.

Mas não tenho vergonha nenhuma disso: ambas me bastam… 😉💚

Já a Folha… essa não falha!

FSP 2001-01-19

Santarém, PA, 29 de junho de 2020. (Leia e curta também no Blogspot.)

Não sei nada, nada sei

nao-sei-nada

Dupla negação? Sim!

A estrutura do português é assim, e não há nada de errado nisso. O mais curioso é que todos os falantes de português falam e escrevem dessa forma (com dupla negação), instintivamente, mas alguns não se conformam com essa estrutura gramatical e acham que está errada. Conheci gente que queria ensinar outras pessoas a não usar duas formas negativas! 😂🤣😂

Mas… Quando o termo (pronome) negativo vem antes do verbo, não há negação dupla. Compare:

Nada vi – Não vi nada; Ninguém veio – Não veio ninguém; Só sei que nada sei – Só sei que não sei nada; Eles nada querem – Eles não querem nada etc.

O mais absurdo de tudo isso é que alguém precise vir a público explicar a usar corretamente algo que ninguém usa errado…

Santarém, PA, 27/2/2020. Leia e curta também no Blogspot.

Que aconteceu ao latim e ao grego antigo?

Belíssimo artigo de Marco Neves! Uma aula sobre linguística histórica, dialetologia, diglossia… em linguagem simples e ao mesmo tempo técnica.

Leiam e aprendam:

Que aconteceu ao latim e ao grego antigo?