Tesouros das bibliotecas digitais do Congresso Nacional

Nem só de política vive o Congresso Nacional. As bibliotecas de ambas as casas legislativas federais conservam livros raros, verdadeiros tesouros que pouco a pouco têm sido digitalizados e postos à disposição do público para ser lidos em linha/online ou baixados gratuitamente.

Senador Federal  Fundada há mais de 180 anos, a Biblioteca do Senado acumulou um grande acervo de livros sobre os mais variados assuntos, principalmente temas brasileiros, entre os quais se incluem centenas de obras raras. Em 2009 essas raridades começaram a ser digitalizadas e postas na Internet à disposição de todos os interessados.

Esses arquivos digitais são feitos a partir de fotografias completas de cada exemplar da biblioteca, o que possibilita registrar carimbos e assinaturas dos antigos possuidores, anotações e correções, grifos e as próprias pastas das encadernações.

A lista das obras digitalizadas pela Biblioteca do Senado já ultrapassa mil títulos; muitos deles tratam da questão da extinção da escravidão no Brasil. Dentre estes, destacam-se: A escravidão no Brasil: ensaio histórico-jurídico-social (1866), de Perdigão Malheiro; Abolição imediata e sem indenização (1883), de autor anônimo; Apontamentos para a história do movimento abolicionista na província do Rio Grande do Sul (1888) de Joaquim de Sales Torres Homem; e A emancipação: breves considerações, por um lavrador baiano (1871).

Outros títulos raros são: Memórias para a história do extinto Estado do Maranhão, cujo território compreende hoje as províncias do Maranhão, Piauí, Grão-Pará e Amazonas (1860), de José de Moraes e Cândido José de Almeida; O selvagem (1876) de José Vieira Couto de Magalhães; Um estadista do Império: Nabuco de Araújo, sua vida, suas opiniões, sua época (1899) de Joaquim Nabuco; e Antiqualhas e memórias do Rio de Janeiro (1921), de José Vieira Fazenda.

Destacam-se também muitas obras do século XIX – entre elas primeiras edições – de autores brasileiros e portugueses como José de Alencar, Machado de Assis, Vagundes Varela, Camilo Castelo Branco e outros.

A Biblioteca Digital do Senado Federal está disponível em http://www2.senado.gov.br/bdsf/.

Câmara dos Deputados  Seguindo os mesmos critérios do Senado, a Câmara dos Deputados também iniciou a digitalização de seu acervo de raridades bibliográficas.

Dentre as obras já digitalizadas, destacam-se: A Amazônia: as províncias do Pará e Amazonas e o Governo Central do Brasil (1883), do Barão de Marajó; Instituição da Companhia Geral para o Estado do Brasil (1649); Relação da embaixada que o poderoso rei de Angome, Kiay Chiri Broncom, senhor dos dilatadíssimos sertões de Guiné, mandou… (1751); Portugal e o Brasil: observações políticas aos últimos acontecimentos do Brasil (1822), de Francisco d’Alpuim Meneses; Carta de El-Rei D. Manuel ao Rei Católico narrando-lhe as viagens portuguesas à Índia desde 1500 até 1505 (1892), de Próspero Luís Peraggallo; além de todas as constituições brasileiras anteriores à atual (1824, 1891, 1934, 1937, 1946 e 1967).

Cabe citar também diversos decretos coloniais portugueses, e entre estes o famoso Diretório que se deve observar nas povoações dos índios do Pará e Maranhão… (1758), um dos principais instrumentos da política portuguesa na Amazônia durante o período pombalino.

A Biblioteca Digital da Câmara dos deputados está disponível em http://bd.camara.gov.br/bd/.

Santarém, PA, 17/1/2012. Editado em 6/5/2016.

Anúncios

Biblioteca particular de Fernando Pessoa disponível na Internet

Fernando_Pessoa_Mensagem_1934
Capa da primeira edição de “Mensagem” (exemplar que pertenceu a Fernando Pessoa)

A Casa Fernando Pessoa (Lisboa, Portugal) tornou disponível para consulta pública, no próprio local ou em versão digital, a biblioteca particular do poeta Fernando Pessoa (1888-1935), principal nome da literatura portuguesa do século XX. São mais de 1400 volumes que pertenceram a Pessoa, de inúmeros autores, sobre os mais variados assuntos e em 8 línguas: português, inglês, francês, espanhol, galego, latim, italiano e grego.

Trata-se de iniciativa rara, senão única: todos os volumes que compunham o acervo do poeta foram reunidos e digitalizados na íntegra por uma equipe internacional. Além de fotografar integralmente os volumes – o que inclui até mesmo as capas das brochuras e pastas das encadernações –, os arquivos digitais apresentam também a assinatura e as anotações e correções de Fernando Pessoa, de próprio punho, em cada livro, inclusive em seu próprio exemplar da primeira edição de Mensagem, publicada em 1934.

À exceção de parte dos livros da coleção, ainda não disponíveis na rede devido a questões de direito autoral – e que por isso só podem ser consultados no próprio local –, os demais podem ser lidos na Internet ou baixados do sítio http://casafernandopessoa.cm-lisboa.pt.

Santarém, Pará, 6/1/2012. Editado em 27/4/2016.

Coleção Brasiliana disponível na Internet

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com apoio do MEC e outras instituições, lançou o projeto BRASILIANA ELETRÔNICA, que consiste na digitalização e disponibilização, na Internet, de toda a Coleção Brasiliana, publicada de 1931 a 1993 pela Companhia Editora Nacional, de São Paulo, SP.

O processo de digitalização já foi concluído, estando disponível para leitura em linha/online todo o acervo da Coleção Brasiliana, que abrange 415 títulos (em 439 volumes, muitos dos quais tiveram várias edições), 158.204 páginas de 275 autores nacionais e estrangeiros, sobre vários assuntos (história, geografia, antropologia, folclore, sociologia, biografia, narrativas de viagem etc.), abrangendo todo o Brasil.

Manoel_Bonfim_O_Brasil_Folha_de_rosto_B
“O Brasil” de Manoel Bonfim é o volume 47 da Brasiliana.

Dentre as obras que podem ser lidas no portal do projeto, estão Os Africanos no Brasil, de Raimundo Nina Rodrigues (volume 9); À Margem da História do Brasil, de Vicente Licínio Cardoso (volume 13); O Selvagem, de Couto de Magalhães (volume 52); Na Planície Amazônica, de Raimundo de Morais, volume 63; Estudos Históricos e Políticos, de João Pandiá Calógeras (volume 74); O Vale do Amazonas, de Tavares Bastos (volume 106); O Precursor do Abolicionismo no Brasil: Luís Gama, de Sud Mennucci (volume 119); O Domínio Colonial Holandês no Brasil, de Hermann Watjen (volume 123); Viagem pelo Amazonas e Rio Negro, de Alfred Russell Wallace (volume 156); Viagem ao Tapajós, de Henri Coudreau (volume 208).

Além dos textos completos, o sítio apresenta ainda listas dos autores, tradutores, prefaciadores, organizadores e colaboradores de cada volume original.

A BRASILIANA ELETRÔNICA está disponível no sítio http://www.brasiliana.com.br.

Santarém, PA, 10/8/2011. Editado em 15/4/2016.

Biblioteca Digital Paulo Freire

Paulo_Freire_foto
Paulo Freire (Fonte: Wikipedia).

A Universidade Federal da Paraíba (UFPB), com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), lançou o projeto Biblioteca Digital Paulo Freire, tornando acessível na Internet a obra e fortuna crítica do educador pernambucano Paulo Reglus Neves Freire (1921-1997).

Já estão disponíveis em PDF, para baixar gratuitamente, alguns livros do autor e dezenas de artigos, resenhas e livros sobre ele e sua obra. Entre as obras de Paulo Freire disponíveis, estão Pedagogia da Indignação e A Importância do Ato de Ler.

Sobre a vida e obra de Paulo Freire, estão disponíveis os livros Boniteza de um Sonho, de Moacyr Gadotti; Paulo Freire para Educadores, de Vera Barreto; Fontes do Pensamento de Paulo Freire, de Paulo Rosas, entre outros, além de muitos artigos.

A “Biblioteca Digital Paulo Freire” está disponível no sítio http://www.paulofreire.ufpb.br/paulofreire/.

Santarém, PA, 9/8/2011. Editado em 14/4/2016.

Capes na Rio +20: livro disponível em PDF

Capes_Rio+20_Contribuicao_capa_2Está disponível para download gratuito, em formato PDF, o livro Contribuição da Pós-Graduação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável: Capes na Rio +20, lançado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) durante a Conferência Mundial da ONU sobre o Desenvolvimento Sustentável Rio +20, ocorrida de 13 a 22 de junho de 2012 na cidade do Rio de Janeiro.

A Capes foi convidada pela organização da conferência para elaborar uma síntese do avanço do conhecimento, pesquisa e formação de recursos humanos desenvolvidos nos programas do Sistema Nacional de Pós-Graduação. O livro, publicado em português e inglês e distribuído durante a Conferência, é baseado nos textos que constam no Plano Nacional de Pós-Graduação 2011-2020, também editado pela Capes e Ministério da Educação (MEC).

O livro pode ser baixado/descarregado aqui (página da UFGD) ou lido online no Issuu.

Santarém, PA, 22/8/2012. Editado em 26/2/2016.