O separatismo nosso de cada dia

brasil-separatistaVez ou outra topamos nas redes sociais com publicações compartilhadas de grupos separatistas, geralmente de São Paulo ou dos estados do Sul do Brasil (Movimento São Paulo Livre, República de São Paulo, O Sul É Meu País etc.). A reação de muitos dos que leem isso é de espanto, perplexidade – afinal, como pode alguém querer separar-se de um país tão “promissor” como o Brasil?!

Os comentários que costumam acompanhar tais postagens invariavelmente acusam haver “racismo”, “preconceito”, “discriminação”, “traição”, “exploração” por parte de tais movimentos contra o resto do País.

Como SP e Sul concentram a maior população de imigrantes eurasianos (portugueses, espanhóis, italianos, alemães, coreanos, japoneses, chineses, árabes, armênios, eslavos e outros) e seus descendentes, acusam-se os habitantes dessas regiões de ter chegado ao Brasil para “matar sua fome” e, agora, “cospem no prato em que comeram”, “viram o cocho”, “querem abandonar o Nordeste” (como se o Brasil consistisse só de três regiões: Sul, São Paulo e Nordeste!), são “nazistas”, “fascistas” e coisas semelhantes.

Há ou não motivos justificáveis que levem habitantes de SP e Sul a querer separar-se do Brasil? No caso do Rio Grande do Sul, sabemos que o movimento separatista local (aliado ou não aos dos outros dois estados sulistas) remonta suas origens à Guerra dos Farrapos (1835-1845). Já em São Paulo o movimento é mais recente, com raízes e simbologia na Guerra Constitucionalista de 1932.

Motivos para separar-se sempre há em todo lugar; e se há também consentimento da maior parte da população da região em questão quanto à independência, não creio que se possa ser contra isso. Aliás, eu mesmo não estou nem aí!

Mas será que esses movimentos independentistas paulistas e sulistas são os únicos do País ou eles apenas têm mais força e evidência do que os outros?

Basta pesquisar rapidamente sobre o assunto na Internet para termos a resposta: há grupos separatistas em quase todos os estados e até no Distrito Federal; aliás, em alguns estados e regiões há mais de um movimento organizado. Não é apenas o Sul que deseja “abandonar o Nordeste”, pois o próprio Nordeste também quer separar-se do Brasil; há um movimento independentista na Amazônia, outro no Rio de Janeiro; também Goiás e Pernambuco desejam evadir-se. Até no Espírito Santo e em Roraima há quem queira deixar de ser brasileiro!

Muitos desses grupos são pequenos e incipientes, mas ganharam fôlego com a vitória do movimento Brexit no recente plebiscito britânico sobre a saída do Reino Unido da União Europeia, e se espalham por meio da Internet e redes sociais. Fazem barulho e reclamam, principalmente, de impostos altos e corrupção. Em certos casos, eles têm queixas específicas sobre exploração de recursos naturais e “ingerência” do Governo Federal em certos assuntos – assuntos estes que, de acordo com a Constituição Federal, são de fato prerrogativas da União.

Já outros grupos parecem preocupados com a dominação cultural exercida pelos grandes centros brasileiros onde se situam os grupos econômicos e de comunicação de maior poder e prestígio – no que, a meu ver, tais grupos têm certa razão, apesar de seu discurso às vezes descambar para o etnocentrismo.

Não creio que algum desses movimentos tenha sucesso, pelo menos em curto e médio prazo; aliás, não vejo possibilidade de um dia o Brasil se fragmentar – a não ser pela guerra. Ainda que nosso país se tenha (con)formado pela violência da expansão colonial, com uma unificação forçada à época da Independência (lembremo-nos da resistência à adesão ao Império na Bahia e no então Grão-Pará), é possível reverter as disparidades atuais. Mas para isso todos teriam de abrir mão de algo, num novo Pacto Federativo: revisão do recolhimento, redistribuição e aplicação de impostos; readequação da representação das unidades federadas no Parlamento (difícil, hein!); talvez a redução do número de parlamentares (o quê?!), para enxugar os gastos com a máquina legislativa; maior liberdade de ação para os estados e o DF, reduzindo-se a área de abrangência da União…

As mudanças necessárias são muitas. Alguém está disposto a discuti-las e fazê-las?

Seja como for, antes de sair por aí xingando separatistas de outros lugares, procure saber se no seu estado também não há algum movimento desse tipo. Talvez você se surpreenda…


Seguem abaixo algumas páginas que encontrei no Facebook de movimentos separatistas brasileiros. Não sei se estão todos aí, pois a certa altura da busca eu me cansei… 😉

Estaduais:

AM – Amazonas Independência Já

BA – República da Bahia, República Federativa da Bahia

CE – Ceará Meu País

DF – Movimento Separatista Candango, Movimento Brasília Independente

ES – O Espírito Santo é Meu País, Espírito Santo Independente

GO – República de Goiás

MA – Movimento Maranhão Independente

MS – Mato Grosso do Sul Independente

PA – Pará Independente

PB – Movimento Separatista da Paraíba

PE – República de Pernambuco, Pernambuco Livre

PI – O Piauí é Meu País

RJ – O Rio é o Meu País

RN – Rio Grande do Norte Meu País

RR – Movimento Roraima Independente

SP – Movimento São Paulo Independente, Movimento São Paulo Livre, Movimento República de São Paulo

TO – Movimento República do Tocantins

Regionais:

Movimento Nordeste Livre

Movimento Nordeste Independente

O Nordeste é o Meu País

Nordeste é Minha Nação

Organização Brasil do Norte

Amazônia Independente

O Sudeste é o Meu País

Nação Sulista

Movimento O Sul é o Meu País


Mais sobre separatismo no Brasil:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Movimentos_separatistas_no_Brasil

Santarém, PA, 24/7/2017. Leia e curta também no Blogspot.

Anúncios

2 comentários sobre “O separatismo nosso de cada dia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s