Domingão da Independência

Foto: Júlio César Pedrosa, 9/9/2015 Local: Travessa Turiano Meira, esquina com Av. São Sebastião – Santarém, PA

Parece que este ano os festejos de Sete de Setembro foram bastante animados em Santarém, Pará: os organizadores do 1º Domingão da Independência estavam “alegres” bem antes das comemorações, já durante a preparação e divulgação do evento, como se vê pelos erros do cartaz abaixo.

Se não, como explicar INDENPENDÊNCIA, ÍNICIO, PRÊMIAÇÃO, HRS?

Já a crase em até às é possível, desde que se tenha aqui a preposição a depois de até e antes de as 15:00h. (A locução até a é equivalente a até; é correta, mas julgo desnecessária, pois só até já expressa o sentido preciso.)

Mas uma coisa é certa: se o revisor de texto deles for demitido, quem assume é o Aécio…

Santarém, Pará, 9/9/2015.

Anúncios

Tataravó, tetravó ou trisavó?

Hoje os britânicos comemoram que a rainha Isabel II (ou Elizabeth, para os íntimos) completa 63 anos e 217 dias de reinado, superando o recorde da rainha Vitória, que reinou de 1837 a 1901, período conhecido como Era Vitoriana.

Mas enquanto a monarquia britânica retoma cada vez mais seu prestígio, nossa imprensa derrapa, pois além das acusações de parcialidade, partidarismo, manipulação, golpismo e coisas que tais, soma-se o pecado de não conhecer direito o vocabulário da própria língua.

Toda a imprensa tupiniquim noticia que a rainha Isabel II “quebrou o recorde de sua TATARAVÓ Vitória”.

Isto é um erro dos mais grosseiros!

A rainha Vitória foi TRISAVÓ de Isabel II. Vejamos a linha genealógica:

  • Vitória foi mãe de Eduardo VII;
  • Eduardo VII foi pai de Jorge V;
  • Jorge V foi pai de Jorge VI;
  • Jorge VI foi pai de… Isabel (Elizabeth) II.

Se Vitória foi mãe do bisavô de Isabel II, logo foi sua TRISAVÓ. Claro como o sol.

Para completar: TATARAVÓ é forma popular, que devemos evitar nos textos escritos e formais; a forma adequada e indicada é TETRAVÓ, feminino de TETRAVÔ.

A tetravó de Isabel II foi a princesa Vitória de Saxe-Coburgo-Saalfeld, esposa do príncipe Eduardo, que era filho do rei Jorge III e irmão dos reis Jorge IV e Guilherme IV.

Além de não ter vergonha do mal que faz ao país, parte de nossa imprensa ainda precisa aprender a consultar dicionários e enciclopédias.

Santarém, Pará, 9/9/2015.